1.22.2018

SINOPSE: Leah Smith finalmente vive um momento muito especial. Conquistou aquele que considera o “homem da sua vida”, mas não está completamente feliz. Leah se sente insegura, como se fosse sempre a segunda opção e sua vida atual, como um castelo de cartas, pudesse desabar a qualquer momento...

E, mais do que sentir, ela sabe que Caleb nunca a olhou com aquele brilho especial que dirigia a Olivia. Então, se por um lado se sente vitoriosa, por outro, percebe quanto é desgastante e trabalhoso manter a sua conquista.
Agora, oficialmente casada com Caleb, ela vai até as últimas consequências para manter unidos os pedaços de uma vida construída por segredos, mentiras e trapaças. E, quem sabe, amor.
Mas não é assim que devemos fazer para lutar por quem amamos?
Quando penso que não irei me impactar chega a Tarryn Fisher e ri da minha cara. 
Nunca imaginei que A Perversa seria mais emocionante e insano que A Oportunista, ledo engano, ele foi mais tenso, emocionante e louco que o primeiro livro da trilogia, e hoje venho aqui falar um pouco dessa experiencia.

O que mais me conquistou na escrita da Tarryn foi o modo que ela trás os fatos, eles são crus, sem floreios e sem tons de cinza, sim eu sei que é ficção, mas na vida real nem tudo são flores não é?

Leah é aquela que luta por seu amor, depois de 'derrotar' Olivia e conseguir segurar Caleb ela pensa que estará tudo bem, que agora vai ter o seu final feliz pra sempre. Uma gravidez, um filho para aumentar o amor entre os dois. 
"É incrível como os homens conseguem imprimir seus nomes nessas criações sem fazer mais do que ter um orgasmo e montar um berço. "
Mas ela não quer isso, temos um impacto muito grande já nos primeiros capítulos, quando Leah demonstra que não gosta de ser mãe, ela não quer, nem demonstra querer se apegar aquele pequeno pedacinho de si. Se sente forçada a amar alguém que ela apenas começou a conhecer, sente ciumes do afeto que o seu marido nutre por aquele ser que mal abriu os olhos.

Inicialmente eu pensei em DPP (depressão pós parto), mas percebi que não era só isso. A obsessão que Leah nutre por Caleb é tão imensa que nubla todos os que estão no seu entorno. Ela se sente ameaçada pela simples lembrança de Olivia.

Caleb não é, e nunca será inocente, desde que comecei a ler essa série nutro uma profunda desconfiança por esse personagem, que engana e subverte os sentimentos de duas mulheres, e também tem o seu sentimento possessivo e obsessivo. Ele não abandona Leah, e continua orbitando Olivia e isso deixa todos muitos perturbados.
"Fizemos amor. Era a primeira vez em minha vida que alguém fazia amor comigo. Sempre fora apenas sexo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Eu me apaixonei seriamente naquele dia."
O que mais senti durante a leitura deste livro foi pena de Leah, uma vilã que não é tão vilã assim. Uma mulher que foi levada aos extremos por aquilo que ela acha ser amor. Aos poucos vamos conhecendo a sua história, que não a redime por todos os erros que cometeu, mas que explica um pouco de como sua personalidade se formou.

Duas mulheres fortes (e um pouco insanas devemos admitir) com uma paixão devastadora por um homem mentiroso e arrogante, que só pensa em si e em sua felicidade. Se eu quero saber o que vem a seguir? Com certeza! Estou torcendo imensamente para que Leah se liberte do seu amor possesso  e que Caleb suma da vida das duas mulheres a quem ele perturba tanto. 
"Quão longo um olhar pode ser... realmente? Um olhar pode ter a duração de um segundo, um caprichoso, inofensivo segundo e pode mesmo assim, revelar longas e complicadas historias. Você pode ver três anos num olhar que dure um segundo. Você pode ver a saudade, também. Eu não sabia disso até que vi por mim mesma. Quem dera eu não tivesse visto. Quem dera eu nunca tivesse visto outro olhar trocado entre duas pessoas que possuíam uma história em comum."

E então? Você já leu a trilogia ou algum dos livros da série Amor e Mentiras? Me conte!
MINHA NOTA


FICHA TÉCNICA 
Autor: Tarryn Fisher
N° de Páginas: 256
SkoobA Perversa
EditoraFaro Editorial
Onde ComprarSubmarino/ Amazon

Este livro foi uma cortesia da Faro Editorial

1.21.2018

Sinopse: "Cadê vocês? Me respondam."
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto. Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?

Olaaaar !! Minha gente, que saudade que eu estava de passar por aqui. Eu sou a pessoa mais desorganizada desse mundo, por isso minha frequência aqui está escassa... Mas isso irá mudar (pelo menos é o que eu espero).
Hoje vim falar com vocês sobre um livro especial que é Dias de despedida do fofo Jeff Zentner. Gente esse moço é um amor *-* confiram a entrevista que ele deu no canal da editora Seguinte nesse link AQUI!
"Você não quer viver constantemente à sombra da morte, mas, a menos que faça isso, sempre vai haver coisas que não foram ditas, ou aproveitadas por completo."

Essa é uma história sobre luto, sobre saudade, sobre a culpa, sobre superação. Confiem em mim quando digo que não é um livro mórbido, mas uma história envolvente dentro de suas peculiaridades. Carver é um garoto que está sofrendo não só a perda de seus melhores amigos, como uma culpa enorme por tantas coisas, mas, a principal seria a mensagem inocente que pode (ou não) ter resultado no acidente que vitimou seus amigos. Acompanhamos um longo percurso onde Carver relembra a Trupe do Molho como se intitulavam, assume responsabilidades, busca a compreensão de tudo.
Eu fiquei extremamente tocada com tudo e muito pensativa, o luto é algo que não sei se tenho compreensão mas fico pensado que perante algo tão definitivo como a morte, todos temos sentimentos conflitantes. ELizabeth Kubler Ross já diria que passamos por 5 fases do luto, e acredito muito nela nesse sentido. A escrita é fluída, mas aviso meu caro leitor, prepare-se para sofrer, prepare-se para refletir. Não é um livro que considero fácil, mas de extrema importância.
Também gostaria de deixar aqui minha reflexão com relação a mensagem de texto ter causado o acidente. Vivemos muito tempo grudados em nossos aparelhos telefônicos que hoje são quase como um orgão vital para muitas pessoas, porém as consequências de uma imprudência é real, e temos que ter consciência. Ligação, mensagem, vídeo ou watsapp podem sim colocar sua vida e de outras pessoas em risco. Não precisamos esperar uma tragédia acontecer para por o dedinho na consciência. E por último fica a questão, será que um dia estaremos prontos para dizer Adeus?

Boas leituras !
Beijos da Jéh


NOTA




FICHA TÉCNICA 

Autor: Jeff Zentner
N° de Páginas: 392
Editora: Seguinte
Onde ComprarAmazon / Saraiva / Submarino

1.17.2018

SINOPSE: Ele está de volta! Depois de Mausoléu e Treze, o Anfitrião retorna do túmulo para horrorizar os leitores com suas histórias macabras, de medo e de sangue. Espíritos vingativos, mortos-vivos, criaturas infernais, divindades antigas e constructos enlouquecem os protagonistas privando-os da sanidade e da própria vida. Um grupo de idosos se reúne no Vaticano para relembrar uma vivência sobrenatural, um necromante invoca das profundezas um grande trunfo, um guerreiro hoplita desbrava terras estranhas para encontrar uma erva rara, um caçador de recompensas no Velho Oeste americano enfrenta o seu maior inimigo, um misterioso colecionador de relíquias invade uma narrativa literária, um detetive descobre que sua mente e seu corpo estão sofrendo alterações irreparáveis, um estudante da Universidade de Miskatonic visita o Brasil em busca das “Sonhadoras”, um filme fantasmagórico revela um final fantástico, um alquimista cria uma monstruosidade mecânica, um homem é atormentado pela sua fera interior e assaltantes lidam com terríveis pesadelos em uma estrada que conduz para o inferno. Abra as páginas deste novo tomo de Duda Falcão e venha fazer você também parte do Comboio de Espectros.
Comboio de Espectros é o terceiro livro de contos do Autor Duda Falcão que leio, e posso dizer que só melhora! Temos de volta o Anfitrião, que é um personagem criado pelo autor para ser o nosso 'Anfitrião' nos livros.

O livro de quase 200 páginas tem onze contos, e as suas  ilustrações foram feitas por Fred Macedo, foi publicado em 2017 em uma parceria entre a Editora Argonautas e a Avec Editora.

Eu acho bem difícil falar sobre livro de contos como um todo, pois são vários enredos diferentes, cada um mais envolvente que o outro.

O conto que dá titulo ao livro, Comboio de Espectros, é dividido em 3 partes e 15 micro-capítulos e um pouco mais de 70 páginas e impressiona pela simplicidade. Eu gostei muito do desenvolvimento deste conto especifico, capa pequena parte complementando o todo, e deixando para trás algumas perguntas que deixam margem para a imaginação.

"Sentiu dedos tentando furar seus olhos, entrar pelos ouvidos e na boca. Mordeu alguma coisa... Cuspiu fora. Empurrou os braços invisíveis com força tal que caiu no chão de costas quando conseguiu se libertar. Mas não era possível, parecia que muitas mãos o tocavam..."
Quer um livro para passar um fim de semana, ou para se distrair um pouco? Este é o livro perfeito para isso! 
MINHA NOTA


FICHA TÉCNICA 

Autor: Duda Falcão
N° de Páginas: 200
Editora: Avec - Argonautas
Onde ComprarAmazon

1.14.2018

SINOPSE: Logo no início coisas muito terríveis acontecem com Ella (a gatinha de estimação de Ivy). O assassino de Tristan começa perseguir Ivy, que só assim volta a acreditar em anjos e passa a colaborar com ele para que possa salvar sua vida e ao mesmo tempo proteger também seu irmão. Em meio à vários acontecimentos ruins, Tristan se depara com um problema: se salvar Ivy isso significa que sua missão na terra está terminado?

Oi gente, meu nome é Yasmin e essa é minha primeira resenha, então vamos logo ao que interessa que é... Comida.

Brincadeirinha hehehe, vamos falar sobre o Beijada por um Anjo. Antes que vocês se perguntem por que eu estou falando do terceiro livro e não do primeiro. Estou falando dele porque estava pensando e descobri uma coisa que provavelmente muita gente já havia entendido mas pode ser que haja pessoas que nem eu que não se deram de conta ainda.

Tenho 5 pontos de que quero falar aqui:

Primeiro: O fato de Lacey gostar de Tristan e ele não perceber.
Eu espero que não tenha sido só eu que fiquei com pena dela, porque gente pelo amor de Deus, ela ajudou a Ivy mesmo sabendo o que o Tristan sentia pela mesma.
Quando ela curou os pés da Ivy e da Ella a garota percebeu o que Lacey sentia por Tristan, mas eu fiquei realmente indignada de Tristan não perceber isso.

Segundo: O fato de Suzanne ser tão mala-sem-alça.
Pode ter muita gente que discorde de mim, mas se façam essa pergunta a qual vou adicionar a minha resposta; Quem Suzanne conhecia a mais tempo? Gregori ou Ivy? Pelo que eu entendi a resposta seria Ivy.
Considerando o quanto Suzanne sabia de Ivy, ela deveria saber que: Ivy nunca daria uma overdose de pílulas para alguém por causa de um garoto. Ainda mais se esse alguém fosse sua melhor amiga. Ivy nunca daria em cima do garoto que sua melhor amiga gostava como ela achava graças ao que aconteceu na sua festa. E é por isso que achei que deveria mencionar esse ponto.

Terceiro: O fato de todo mundo achar que ela era louca menos Will.
Devo admitir que esse foi um dos motivos para eu não ter lido os livros 4, 5 e 6 da série, afinal eu não li mas minha mãe leu e me disse que como eu tinha gostado da Ivy ficar com o Will afinal o Tristan volta a vida e tudo (Sim ela me deu Spoiler kkkk).
 O Will não ter achado que era louca e na verdade acreditar nela foi o que mas fez com que eu gostasse dele e quisesse que ele ficasse com ela. O que me deixou triste foi que a Beth e a mãe da Ivy acharam que ela estava louca, o que realmente me deixou triste. Tipo gente, nunca que a Ivy mataria a Ella como a mãe dela achou.

Quarto: A morte da Ella.
Já que eu toquei nesse assunto ali atrás e tudo me lembrei de mencioná-lo. Gente. Isso não precisava. Cara eu já choro quando a Merida do filme da Disney Valente acha que a mãe dela nunca vai deixar de ser urso. Aí vocês dizem. Ahh, mas eu também chorei na primeira vez que vi o filme não tinha como saber que a Mérida consegue salvar a mãe. Não gente, se vocês pensaram isso eu digo: Vocês não entenderam. Da primeira vez que eu vi eu chorei, muito, mas na segunda eu continuei chorando. Enfim, sou muito emotiva. A Ella é o Fred da série, aquele que não precisava morrer mas a autora achou que daria um Tchan na história.

Quinto: A Ivy tentando negar para todos e também para ela que gostava do Will.
Gente isso é a coisa que eu mais gostei, apesar de isso mostrar a insegurança dela, mostra também alguns dos maiores medos, nesse caso, o de se apaixonar e perder a pessoa que ela ama de novo e, pra piorar, trair a única pessoa que, apesar de morta, a amou por quem ela era. Então eu achei muito lindo o voto de confiança que ela deu para o Will no final do livro de abrir o coração para ele.
Enfim gente, era isso, mas o fato que eu descobri tem haver com o nome do livro, que é Beijada por um Anjo – Almas Gêmeas. Começando pelo beijada por um anjo. Na real eu não ia falar sobre essa parte, mas agora me lembrei de um trecho do livro, quando o Tristan se despede da Ivy dizendo que já tinha completado a missão dela (Se eu não me engano é isso) e ele consegue materializar os lábios e beijá-la, então ela foi realmente Beijada por um Anjo.

 Quanto a parte Almas Gêmeas, sempre me vinha a mente Ivy e Tristan, afinal eles eram almas gêmeas. Mas agora, pouco antes de eu resolver escrever essa resenha, pensei um pouco e notei que talvez o titulo Almas Gêmeas não estivesse se referindo aos dois, e sim a Will e Ivy, para quem não leu os outros três que procedem a trilogia, nesse caso acolher essa teoria ou não está por sua conta e risco.

 Bom eu fico por aqui e começo a ler outro livro para começar a tentar a fazer mais uma resenha, Tchau e obrigado.

FICHA TÉCNICA 

Autor: Elizabeth Chandler
N° de Páginas: 262
Editora: Novo Conceito
Onde ComprarAmazon

1.11.2018

E tem mais novidade na Faro para fevereiro! Tudo que acontece aqui dentro, chega as livrarias em 22/02 e promete ser aquele livro muito amorzinho!

Sinopse: Amar e afogar-se com os próprios sentimentos e continuar respirando Tudo o que acontece aqui dentro é uma seleção de crônicas sobre o amor em seus diversos estágios, sobre aprender com as experiências da vida... trata-se de um tipo de testamento das coisas do coração. É também um romance narrado pelas memórias de quem as viveu, por cartas que deveriam ter sido rasgadas, registros dos sentimentos pessoais de quem revelou bem mais de si que a maioria de todos nós. Uma das coisas mais bonitas é a maneira com que vamos enfeitando a alma enquanto esperamos alguém chegar "São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder.
Os momentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar". Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos com muita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós também possamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos de algum modo aflitos, por não compreender. É o momento em que o nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nas gargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizado sobre amor com o olhar de uma geração.

Amei esse livro! Gente vai ser maravilhoso!


Colaboradores Ocasionais