7.12.2018

[Resenha] Além da Superfície


SINOPSE: As pessoas costumam dizer que a primeira vez a gente nunca esquece. Alice só não sabia que a primeira crise de ansiedade também estava nessa categoria. Ela nunca pensou terminar sua graduação com sete quilos a mais do que gostaria, chutada pelo seu namorado, desempregada e (ainda) morando com os pais. E nunca pensou, principalmente, que o Transtorno de Ansiedade Generalizada faria parte do seu cotidiano.
Alice está com 23 anos, e não tem ideia do que fazer ao ver seus planos desabarem. As pessoas esperam que ela siga o modelo de seu irmão, que parece ter a vida perfeita. Seus pais exigem que ela tome um rumo e esqueça o ex-namorado, que agora está com a garota com quem a traiu. Aos trancos e barrancos, Alice precisa se ajustar à vida adulta e a uma nova condição psicológica enquanto tenta encontrar a felicidade.


Ficha técnica
Autor: Duda Razzera
Editora: DigitalPen
Ano: 2018
Páginas: 260
Olá Bookaholics! Pensem em um livro difícil de falar! Além da Superfície é aquele tipo de livro que trava a garganta (em diversos momentos) então precisei dar um tempinho para conseguir falar dele, e aqui estamos!

Em Além da Superfície iremos conhecer Alice, Alice sofreu uma grande desilusão com seu namorado (cafajeste de marca maior) Gustavo. 

“Demorou, mas agora percebo que Gustavo nunca foi o namorado perfeito que imaginei. Ele não se tornou um babaca completo de repente, mas era assim desde o começo.”

Três anos de relacionamento, um relacionamento que até aquele momento ela não percebia o quanto a prejudicava, além de ela sofrer com Transtorno de Ansiedade Generalizada, acaba sem emprego morando com sua mãe e com uma relação conturbada com o pai, que se faz presente tentando reconquistar a mãe.

Alice é um exemplo de mulher, uma mulher que eu adoraria ser na verdade. Não se trata de um simples romance, Duda consegue descrever com perfeição o que uma pessoa com problemas de ansiedade sofre (sim gente eu sofro de ansiedade, não um caso tão grave como o descrito, mas sei como é) e isso dá uma veracidade tão grande a história de Alice que você imagina que ela está ali ao seu lado.

“O pior é reconhecer que tive uma crise de pânico por causa de um homem. Sinto-me pateticamente fraca e pensar sobre isso é como um soco na cara.”

Ela precisa se levantar, com a família pressionando que ela se reerga Alice acaba reencontrando velhos 'conhecidos', ao que parece o seu passado está retornando, só não conseguimos descobrir se isso é bom ou ruim.

“Pode ser impressão, mas aparentemente uma mandinga acontece após a entrega do diploma e, de repente, a gente passa de “filhinha querida do papai e da mamãe” para “o estorvo que virou adulto e quer brincar de Peter Pan.”
Aos poucos vamos conhecendo a rotina de Alice, uma mulher cheia de problemas que não desiste, ela volta a se relacionar com antigos affairs e não consegue distinguir seus sentimentos por um ou outro. Com a ajuda de seus amigos, e o apoio de seu irmão ele consegue se reerguer aos poucos. O mais interessante no livro da Duda é o fato de que não tem uma cura pra essa doença da Alice, ela não vai se curar, ela vai se tratar, vai ter dias bons e dias ruins, porém ela consegue lidar com isso, aceitando a sua condição e conseguindo o apoio da família e dos amigos. 

“Eu sou imperfeita e tenho medo de várias coisas, mas o medo não pode me paralisar. A minha ansiedade e crise de pânico não podem me paralisar. Eu posso ter uma vida normal, mesmo com esses obstáculos no meu caminho. Sei que posso.”

O romance do livro é maravilhoso e bem descrito, conhecemos uma Alice que quer esquecer e ela encontra em Lucas a pessoa perfeita para enlouquecer sem pensar no futuro, porém ela também tem o Marcelo, que foi seu primeiro beijo e que desperta nela um sentimento muito forte. São mais decisões, mais dúvidas, mas no fim ela consegue perceber tudo que é melhor para ela.

“Nossos olhares se fixam um no outro e, nesse momento, entendo que somos duas estrelas-cadentes prestes a entrar em colisão, mas não tenho nenhuma crise por causa disso. Quando ele me beija, não sei dizer se é por desejo ou alivio, eu me sinto uma pessoa normal de novo.”

As subtramas também deixam o livro ainda mais maravilhoso, sofri com Cris e sua dificuldade de se assumir para sua família, ri e chorei com Malu ao ver os seus dilemas de vida, e de como a relação de seus pais a afetou. Torci pela felicidade do Matheus (irmão de Alice) e me admirei com os pais de Alice, sempre em busca da felicidade. Enfim me encantei com a escrita da Duda, um chick lit que me encantou e me conquistou e que espero ver muito mais e em breve (viu Duda?).

MINHA NOTA

ONDE COMPRAR: EM BREVE
Este livro foi uma cortesia da Autora Duda Razzera

4 comentários:

  1. Ai que resenha linda! Tão bom ver que você se identificou com a Alice. Ela tem muito de mim também, porque eu tenho TAG, sei o que é isso, sei o quanto é difícil se reerguer quando tudo o que a gente quer é ficar debaixo das cobertas. E fico mais feliz ainda de você a ver como uma mulher forte. Porque ela é. E adorei saber os quotes que você gostou e o que achou dos personagens secundários e as subtramas. Obrigada por todo o carinho e você me deixou emocionada! <3

    ResponderExcluir
  2. Tem livro que é tão bom, tão bom, mas tão bom que a gente fica sem palavras para poder expressar o que sentimos ao lê-lo.
    Fiquei bem curiosa para ler esse.
    Adorei sua resenha.

    Tenha uma ótima noite!

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá ^-^
    Estava curiosa para ler este livro desde que a autora me mandou uma mensagem no Skoob falando dele e tudo mais, e agora com a sua resenha, essa vontade só aumentou!
    Já vi que vou gostar da história. Uma mulher forte passando por momentos difíceis e superação?! Vem coisa boa daí na certa!
    Parabéns pela resenha.
    Beijinhos
    Isabelle - https://blogalgodotipo.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Também sofro com ansiedade e acho legal ver pessoas tratarem esses assuntos em livros sem aquele típico clichê de que a pessoa se cura depois que "se apaixona"; na realidade, isso não se cura, mas se trata e se controla.
    O que mais tenho medo em livros assim é a romantização dessas doenças. Mas, pela sua resenha, esse livro não é assim. Deixei o título guardado para começar a ler qualquer hora :)
    beijos.

    ps: “o estorvo que virou adulto e quer brincar de Peter Pan.”, sorry, eu ri com isso hahaha!

    ResponderExcluir

Colaboradores