1.07.2017

[Resenha] O Protegido - Ciclo das Trevas Vol. I

SINOPSE: o cair da noite, eles surgem por todos os lados, famintos por carne humana, demônios de areia, de vento e até de pedra, conhecidos como terraítas. Depois de séculos, a humanidade definhou e se tornou refém da escuridão. Arlen, Leesha e Rojer, jovens sobreviventes, atrevem-se a lutar e encarar as trevas. O jovem Arlen recebe os ensinamentos de um mensageiro e descobre que o medo, mais que os demônios, é o mal a ser combatido. Leesha tem a vida destruída por uma simples mentira e se torna ajudante de uma velha e misteriosa ervanária. E o destino de Rojer muda para sempre quando um menestrel chega à sua vila com uma rabeca. Juntos, eles podem oferecer ao mundo uma última, e fugaz, chance de sobrevivência.
O impressionante universo criado por Peter V. Brett - que, assim como muitos de nós, foi educado com uma rígida dieta de romances fantásticos, HQs e Dungeons & Dragons - cativa e emociona o leitor, nos tornando parceiros e reféns de seu mundo e personagens. Peter constrói uma bela metáfora sobre o medo e como precisamos confrontá-lo todos os dias.

RESENHA 

Quando vi este livro pela primeira vez me apaixonei pela capa que novidade, e mesmo antes de ler a sinopse já tinha decidido que queria ler, depois de ler a sinopse então uou, precisava ler ele, e posso dizer não me arrependi. Qualquer coisa que falarem sobre esse livro não vai ser suficiente para descrever a magnitude do universo criado por Peter VBrett.

O Protegido , primeiro livro da trilogia Ciclo das Trevas, nos faz entrar em um mundo completamente dominado por magia e medo, o cair da noite pode significar a morte. Quando a luz do sol se esconde Demônios emergem da terra, com sede de sangue, loucos por carne humana.

Como se proteger? Símbolos mágicos, muito antigos, esculpidos em torno das casas, o maior problema é que nem todos tem esse conhecimento, e muitos símbolos se perderam a muitos anos, quem não sabe depende de quem sabe e isso deixa o povo com medo. Não existe uma chance de lutar contra eles, não existe esperança. Mas será isso mesmo?

Arlen é muito jovem e já sabe como fazer as proteções e sempre ajuda a sua família, os desenhos de Arlen são bem feitos e firmes e seu sonho e se tornar um mensageiro, desbravando o mundo sem medo dos demônios, cercado somente por uma fraca proteção feita com blocos de madeira.

– Esconder-se nem sempre é o bastante, Arlen – interrompeu Ragen. – Às vezes esconder-se mata algo dentro de você de tal forma que, mesmo se sobreviver aos demônios, não terá sobrevivido de verdade.

Arlen foge de seu pai depois de uma grande tragédia. Ele não entende o motivo de precisar se esconder, a covardia de seu pai o deixa revoltado, porque ajudar alguém que nunca o protegeria, alguém que se deixa dominar pelo medo.

Na sua fuga ele não percebe o perigo que corre, e contra todas as probabilidades ele sobrevive. Ele enfrenta vários perigos durante os dias que fica ao relento e ao se deparar com um demônio de pedra, e o enfrenta e esse vem a ser seu inimigo por muitos anos.
Olha só essa fanart show de Miguel Coimbra!



Durante toda a vida, Arlen assistira aos terraítas de longe, por trás de janelas e portas. Antes dos eventos horríveis dos últimos dias, ele nunca estivera ao ar livre com um demônio totalmente formado e certamente nunca permanecera em posição de ataque. Sabia que o tamanho podia variar, mas nunca havia avaliado o quanto.O demônio da rocha tinha quatro metros e meio.O demônio da rocha era imenso. (…)Quando o demônio golpeou, a coragem de Arlen despedaçou-se. Ele gritou e caiu no chão, curvando-se enrodilhado, cobrindo a cabeça com os braços.A explosão resultante foi ensurdecedora. Mesmo tendo coberto os olhos, Arlen viu o clarão imenso da magia, como se a noite tivesse se tornado dia. Ouviu o berro de frustração do demônio e espreitou quando o terraíta girou, golpeando sua cauda pesada contra as proteções. (…)— Volte para as Profundas que é o seu lugar! — gritou. — Volte para lá e morra!”

Com o pouco conhecimento que tem ele consegue encontrar Ragen, o mensageiro que havia encontrado antes e acaba por se tornar seu aprendiz.

Leesha é uma menina doce que está prometida a um lenhador de sua aldeia ela vê o seu sonho de se casar se tornar um pesadelo depois de seu futuro marido contar uma mentira sobre sua pureza.  

Arrasada ela se torna aprendiz da ervanária da aldeia, uma velha chamada Bruna e suas habilidades a tornam uma das melhores ervanárias conhecidas, ela terá o poder de ajudar muitas pessoas. Ela passa por muitas dificuldades na sua vida e isso só a torna mais forte, preparem-se para grandes emoções com ela.

“Somos o que escolhemos ser, mocinha. Deixe os outros determinarem seu valor e você ficará perdida, porque ninguém quer que as pessoas valham mais que elas.”

Rojer é uma criança quando aparece pela primeira vez, sua família é destruída pelos demônios, ele vai embora com um menestrel e se torna seu aprendiz, na tragédia que ocorreu com sua família ele perdeu alguns dedos e daí vem o seu apelido, Roger Faltadedo. Ele se torna muito bom em musica o que ele não esperava, e nem poderia imaginar, é que suas musicas podem encantar os demônios, deixa-los hipnotizados ou até espanta-los.

Estes são os três personagens foco no primeiro volume de O Ciclo das Trevas, e nessa resenha super extensa não contei nem um terço do que acontece com eles.
Me conta aí, você já leu esse livro? O que achou e qual o seu personagem preferido? Quero muito saber!

MINHA NOTA 
FICHA TÉCNICA 
Titulo Original: The Painted ManDemon Cycle
Autor: Peter VBrett
N° de Páginas: 514
Editora: Dark Side Books
Onde Comprar: SubmarinoSaraivaCulturaAmericanasAmazon

Beijinhos da Paty ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores Ocasionais