1.17.2017

[Resenha] Revival

SINOPSE: Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes.
Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade.
Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.

RESENHA 
Stephen King é um ícone quando se fala em literatura de terror e suspense, o livro Revival é um livro que abrange um período de tempo muito grande e isso pode parecer um tanto monótono para algumas pessoas, mas em Revival cada fase da história do protagonista, Jamie Morton, é necessária.

Começamos com Jamie, já idoso, narrando a sua história e ele nos conta como em sua história há um quinto elemento.

“De certa maneira, nossa vida parece mesmo um filme. Família e amigos formam o elenco principal. Vizinhos, colegas de trabalho, professores e conhecidos são os coadjuvantes. Tem também os personagens com participações curtas: a caixa de supermercado com sorriso bonito, o garçom simpático do bar, os colegas de academia que encontramos três vezes por semana. Por fim, milhares de figurantes passam pela nossa vida como água pela peneira. (…)(…) Às vezes, porém, entra em nossa vida alguém que não se encaixa em nenhuma dessas categorias. É o palhaço de mola que pula da caixinha vez por outra ao longo dos anos, não raro durante momentos de crise. No cinema americano, esse alguém é chamado de quinto personagem, ou agente de mudança. Quando ele surge em um filme, dá para saber que foi o roteirista quem o pôs ali. Mas e o roteiro da nossa vida? Quem escreve? O destino ou o acaso? Quero acreditar que seja o último. Quero mesmo, do fundo do meu coração. (…)”

Jamie ainda muito jovem conhece o Reverendo Charles Jacobs, que acaba se tornando um confidente e amigo, acaba se tornando quase um herói para Jamie.
Charles Jacobs é casado e tem um filho e busca renovar o espírito da comunidade e dos fiéis da cidade, ele influencia muito os jovens da cidade. Além de ser um grande reverendo ele adora fazer experiências com energia elétrica. Após uma tragédia em sua vida, ele se torna obcecado com a energia elétrica e por causa de sua obsessão ele é expulso da cidade.
Jamie foi a primeira pessoa a vê-lo chegar na cidade e é o ultimo a vê-lo por lá.

 “Quando penso em Charles Jacobs – meu quinto personagem, meu agente de mudança, minha Nêmesis -, não ouso acreditar que a presença dele em minha vida tenha qualquer ligação com o destino, por isso significaria que todas aquelas circunstâncias terríveis – aqueles horrores – estavam fadadas a acontecer. Se for assim, a luz não existe, e nossa crença nela é mera ilusão. Se for assim, vivemos na escuridão, como animais em uma toca, como formigas nas profundezas de suas colônias.”

Jamie se torna um garoto problemático, se torna um grande guitarrista, sua vida é regada a álcool e drogas, isso tudo sem lembrar-se do Reverendo, até que o encontra em meio a confusão ele agora é conhecido como Daniel Jacobs, Jamie está acabado por causa das drogas e aceita, por acaso ou destino a ajuda de seu antigo amigo, só o que ele pede é que Jamie se submeta á uma das experiências de Jacobs e isso muda a sua vida para sempre.
Tudo sempre acaba se voltando para Jacobs e suas experiências e Jamie já consegue perceber que Jacobs não é uma pessoa muito sã, ou muito boa, sua obcessão com eletricidade, ou a eletricidade secreta como ele chama, o torna uma pessoa aterrorizadora.

“A vida é uma roda, e sempre volta ao ponto onde começou.”

Uma narrativa intensa que nos trás questões extremamente fortes, quanto de dor o ser humano suporta? Charles Jacobs é desfigurado pela dor, perde sua fé em tudo e sua busca o leva até uma verdade terrível, inimaginável.
As consequências das experiência de Jacobs são terríveis, e por mais que Jamie tente escapar dele sempre acaba retornando para ele.

 “Mary Fay abriu os olhos, mas já não eram olhos humanos. O raio destruíra a tranca de uma porta que jamais deveria ter sido aberta, e a Mãe entrou.”

Revival é um livro único, uma experiência extraordinária de uma vida tomada pelo desespero, Charles Jacobs mudou todo o rumo de sua vida por uma tragédia e isso o tornou um cientista louco que fazia experiências com todos que entravam em sua vida.
Fiquei muito chateada com o fato de o livro descascar, ele é lindo mas o simples manuseio dele já o deixa arranhado e com aparência de velho L

Eu recomendo este livro para todos que amam SK e um pouco de terror e ficção cientifica.

MINHA NOTA


FICHA TÉCNICA 
Titulo Original: Revival
Autor: Stephen King
N° de Páginas: 376
Skoob:  Revival
Editora: Suma de Letras
Onde Comprar: SubmarinoSaraivaCulturaAmericanasAmazon

Beijinhos da Paty ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores Ocasionais